› Home  › Notícias  › Notícia

Detran muda regras para aulas e exame de trânsito

12/08/2010

Detran muda regras para aulas e exame de trânsito
 
Manobra da baliza deixa de ser prioritária em Minas e sistema biométrico é adotado também nas aulas de direção


Os candidatos à primeira carteira de motorista em Minas Gerais não serão mais obrigados a fazer primeiro a manobra de baliza no exame de direção. A partir deste mês será o secretário da banca examinadora quem vai decidir se o candidato, no teste de rua, será submetido primeiro à baliza ou à direção. De acordo com o chefe de Habilitação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MG), delegado Anderson França, a medida é uma tentativa de aumentar o índice de aprovação. A cada cem pessoas que chegam ao exame de rua, 80% são aprovadas na baliza. Porém, submetidas à direção, 20% delas são reprovadas.


Dados do Detran mostram que em 2009, em Minas Gerais, 473.659 candidatos foram aprovados no exame de direção, contra 663.225 reprovações. Foi no ano passado que a baliza passou a ser a primeira etapa obrigatória do teste, conforme resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Somente o candidato aprovado na baliza, realizada em área demarcada por cones e determinada por examinadores, é encaminhado para o restante do exame.


Se antes disso a reprovação na baliza era de 70%, o índice de aprovação passou a ser de 80%. Porém, a questão da direção passou a preocupar o Detran. “Percebemos que os alunos estão treinando mais a baliza do que o restante pedido no exame. E fica nisso somente, não dão ênfase para o restante”, enfatiza Anderson França. Ele diz ainda que, com a nova determinação, nem a baliza nem a direção deixam de ser eliminatórias e obrigatórias.


De acordo com o proprietário da autoescola Detroit, Alexandre Cordeiro de Aquino, a mudança era necessária, até mesmo porque, para ele, as regras gerais de circulação no trânsito são mais importantes que a própria baliza, que tem ainda uma força emocional muito forte. “Começar o exame com a baliza é um absurdo. Acho que o Detran percebeu que a baliza tem uma carga muito força no psicológico dos candidatos. O mais importante é que o aluno seja avaliado primeiro se sabe se portar no trânsito, se tem o conhecimento e a prática das regras. Depois, já aquecido, fica até mais fácil fazer a baliza”, opina.

Biometria nas aulas de rua
A mudança nas balizas chega ao mesmo tempo em que o Detran anuncia a implementação do sistema biométrico nas aulas de direção. Desde o fim de julho, em caráter experimental, alunos da prática de direção veicular, diretores de ensino e instrutores de três centros de formação de condutores na capital estão deixando a digital antes e depois das aulas.


Para Alexandre de Aquino, a medida é muito importante para, além de evitar fraudes, dar mais segurança. “Todo sistema de vigilância é muito válido. A medida traz uma disciplina, uma organização que é vital para a produtividade, tanto do aluno, quanto dos profissionais das autoescolas. E esta disciplina é fundamental para qualquer ação de educação, principalmente no trânsito, onde qualquer erro pode ser fatal”, afirma.


Ainda de acordo com Alexandre, os próprios alunos devem concordar com a lei, pelo menos os que tiverem realmente o interesse em serem bons motoristas. “Eles podem reclamar inicialmente, mas com um tempo verão que os benefícios existem. Para ter uma boa formação no trânsito é preciso ter respeito e comprometimento, e é o que a medida busca. Acho que a adoção dessa fiscalização eletrônica é o Estado buscando proteger o cidadão dele mesmo, porque estar em via pública é algo muito perigoso”, conclui.

 

Av. Barão Homem de Melo, 4500, Sala 822, Bairro Buritis - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-270. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 9128-6880