› Home  › Notícias  › Notícia

Verão exige cuidados especiais com pets

            Não são somente nós humanos que sofremos com o forte calor do verão. A estação mais quente do ano também castiga os animais de estimação e exige cuidados especiais. Sócia-proprietária da ZooTopet, no Buritis, Raquel Coutinho dá algumas dicas importantes para que os donos saibam como cuidar de seus pets neste período.

            Os dias quentes são convidativos a passeios ao ar livre, porém, para o bem-estar do seu bichinho é preciso atenção redobrada. Uma das recomendações mais básicas é o horário do passeio, que deve ser sempre em temperaturas mais amenas. "O sol forte castiga o cão, que pode sofrer fadiga, desidratação e até queimadura nos coxins, aquelas almofadinhas das patas. Durante o programa, é importante fazer pausas para hidratação e descanso na sombra. Se tiver aqueles sapatinhos melhor ainda", explica Raquel. Cães de focinho curto, como pugs e buldogues, são raças que têm, por natureza, maior dificuldade na transpiração e, portanto, sofrem mais com o calor. Seja cauteloso e fique atento ao ritmo do passeio.

            As brincadeiras na água são aconselháveis mas também requer cuidados. Toda vez que o animal for molhado, o pêlo precisa ser enxugado com toalhas e secador. O banho de sol seca apenas a parte exterior do animal. A umidade que permanece pode provocar sérias lesões na pele, não importa se a pelagem é longa ou curta. "Se o tempo da brincadeira for extenso, também é importante que um algodão seja colocado no ouvido do pet". Para quem tem piscina em casa, além dos cuidados ao secar, também fica o alerta em relação ao cloro. "Nesse caso, o animal precisa tomar um banho de verdade, com sabonete, shampoo, etc, para que o cloro seja retirado de seu corpo. É o mesmo que acontece com a gente".

Alimentação e hidratação

            É normal que em dias quentes o animal perca o apetite e passe a comer menos. A recomendação, então, é diminuir a quantidade de ração e oferecer alimentos mais refrescantes, em especial frutas, exceto uva. "Eles adoram. É gostoso e muito refrescante. Se quiser congelar também pode. Vira um picolé delicioso", diz Raquel, que ressalta ainda que em caso de jejum total, o animal deve ser levado ao veterinário.

            Em relação à hidratação, como referência prática, os cães precisam receber no mínimo 60 ml de água por quilo de peso corporal por dia. Ou seja, um animal de 5 kg deve ingerir 300 ml de água por dia, limpa e fresca de preferência.

            Gatos também costumam gostar mais de água corrente. Além da troca constante da água da vasilha para ficar sempre fresquinha, a solução para eles pode ser uma pequena fonte, que cabe em ambiente interno e também serve de incentivo ao consumo. Com hábitos mais caseiros, os gatos já tendem a procurar por aquele cantinho mais fresquinho da casa. Situação bem diferente do cão, principalmente se ele passa o tempo todo no quintal de casa ou outro ambiente externo.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880